PRECISA-SE DE

EMPREENDEDORAS

EM EDUCAÇÃO

Ass. Brasil

 

 

workshop empreendedoras EM EDUCAÇÃO

um worshop para empreendedoras em educação - EDIÇÃO EXTRA

Empreender não é fácil. Muitos são os medos, incertezas e razões para não seguir em frente. A cabeça começa a viajar... como começo? Preciso largar tudo de uma vez? E se minha idéia não parar em pé? Consigo me dedicar parcialmente ou tenho que estar 100%? Preciso de dinheiro para começar? Como encontro um sócio ou parceiro?

Pela quantidade e complexidade de questões, o objetivo do workshop é ajudar cada uma das participantes a responder boa parte delas e melhor se preparar para essa jornada. Empreender é um caminho a ser percorrido entre a idéia e a construção de um novo projeto e é essa trajetória que queremos ajudar nossas participantes a melhor compreender e a trilhar.

Queremos minimizar a ansiedade relacionada à decisão de empreender, trazer mais clareza sobre como construir um novo projeto e compartilhar referências práticas para dar os próximos passos. Por fim, queremos ajudar a desenhar um plano individual para colocar em pé o projeto de cada uma.

Este workshop busca apoiar mulheres que querem fortalecer sua atuação empreendedora em educação com o desenvolvimento de projetos, organizações ou negócios próprios. Sejam eles novos ou já existentes. Sejam de pequeno ou grande porte, dentro de uma organização ou de maneira independente, com ou sem fins lucrativos. Queremos ajudar na construção de novas iniciativas empreendedoras capazes de fazer a diferença na educação brasileira e fortalecer uma cultura e um ecossistema de inovação em todo o setor. 

a dinâmica

O workshop trará uma série de referências concretas sobre empreender em educação com foco em diminuir as dúvidas e anseios das participantes. Empreendedores e empreendedoras em educação serão convidados para compartilhar suas experiências e responder as questões do grupo. As atividades expositivas serão intercaladas por sessões de trabalho para refinamento e construção de um plano individual para construção do projeto de cada participante.

questões a responder

O workshop ajudará os participantes a responderem algumas perguntas, por exemplo:

  • Como saber se estou pronta para empreender?
  • Como diminuir as incertezas do meu projeto antes de coloca-lo de pé?
  • Quem devo trazer para o projeto? Como atraio as pessoas "certas"?
  • O que é particular em empreender em educação e como isso impacta meus planos?
  • Como posso começar um novo projeto sem investimento?
  • Como avaliar minhas idéias e definir uma visão clara para o meu projeto?
  • Quais devem ser os meus passos no curto e médio prazo?
    Dentre outras questões abordadas pelo condutor do workshop e a serem trazidas pelos participantes. 
    Dúvidas, só mandar no alo@norte.social

o problema 

As escolas são dominadas pelas mulheres. Em escolas públicas, quatro em cada cinco professores são mulheres. Em escolas privadas, essa proporção não é muito diferente. Não é exagero dizer que elas sustentam e fazem a educação no Brasil.

De maneira contraditória, as mulheres perdem espaço conforme aumenta o nível acadêmico e de influência. Por exemplo, no ensino superior elas representam menos da metade dos professores. Na gestão das universidades, essa proporção cai ainda mais. A USP teve ao longo de toda a sua história 27 reitores. Dentre eles, apenas uma mulher. Já a Unicamp nunca teve uma mulher como reitora. Indo além, dos 51 ministros da educação na história da República, apenas uma foi mulher, há mais de vinte anos. 

Se a grande maioria dos profissionais em educação são mulheres, não é apenas injusta a falta de representatividade em posições de liderança, mas extremamente problemática para o desenvolvimento do setor. Se são elas que sustentam o sistema, não tê-las liderando e tomando decisões fundamentais à sua evolução, é uma certeza que as mudanças não refletirão plenamente suas perspectivas e capacidades e não atenderão integralmente os desafios que enfrentam.

Olhando para os empreendedores em educação no Brasil, em especial no setor privado, o retrato não é diferente. Poucas são as mulheres. A grande maioria são homens, jovens (20-40 anos), de classe média, advindos de escolas privadas e que o grande vínculo com a educação foi terem sido estudantes - eu incluso.

Precisamos de mais diversidade nesse grupo de empreendedores. Não só no setor privado, mas também no público e social. Não apenas de empreendedores de tecnologia ou negócios, mas de movimentos políticos, organizações sociais e novos projetos em instituições já existentes. Estimular o desenvolvimento de mais empreendedoras em educação é um caminho fundamental para acelerar a evolução do setor.

o propósito

São muitos os paradigmas que sustentam os modelos educacionais tradicionais. Como consequência, mantemos o baixo acesso à educação de qualidade, a massificação das experiências de aprendizagem, a falta de inovação pedagógica, o uso superficial de tecnologias, a negligência ao desenvolvimento humano... No final, tudo isso acaba limitando a nossa capacidade de evoluir como indivíduos e como sociedade.

A educação precisa mudar profundamente. Debatemos o papel do Estado, dos grupos privados, das ONGs, mas todo processo de mudança começa com pessoas inconformadas e fazedoras. 

Uma aula incrível pode dar vida a uma metodologia de maior impacto de aprendizagem, replicável por vários professores. Um livro infantil pode ser o embrião de um grande filme. Uma pesquisa acadêmica pode ser o primeiro passo para um novo movimento social. Um curso pode chegar a milhares de estudantes através da internet. A multiplicação de iniciativas empreendedoras é o caminho mais efetivo para alcançarmos as transformações que precisamos na educação.

Para este workshop, daremos espaço exclusivo às mulheres, as quais precisamos na linha de frente desse processo de transformação. Sejam professoras, gestoras, escritoras, pesquisadoras, editoras, consultoras, jornalistas ou quaisquer outras profissionais dedicadas à evolução da nossa educação. Sejam elas do mercado editorial ou da educação básica, do ensino de idiomas ou da academia, das artes ou da educação corporativa, essa evolução precisa acontecer em todas as áreas e segmentos.

Àquelas que se enxergam como fazedoras para melhoria das suas áreas de atuação, criamos o Workshop Empreendedoras em Educação. Um programa de dois dias para ajudá-las a planejarem e a se prepararem para uma atuação empreendedora com maior chance de sucesso e impacto.

 

PRÉ-inscrição

Serão 20 participantes selecionadas por meio de uma pré-inscrição disponível até o dia 4 de dezembro, segunda-feira. As respostas às perguntas (bem simples) serão analisadas com foco no alinhamento do perfil e objetivos de cada uma ao workshop. Confirmação das participantes ocorrerá até o dia 5 de dezembro.

valor

O valor da participação nos dois dias do workshop é de R$650 (em 2x).
Para profissionais da rede pública o valor total é de R$325.

Datas

9 e 10 de dezembro das 9 às 18h

Local

Fundação Lemann
Rua dos Pinheiros, 870, 18o andar - Pinheiros, São Paulo-SP

NORTE

A Norte acredita que a mudança da educação deve ser de baixo para cima, de dentro para fora. Que a mudança surge das pessoas inconformadas e fazedoras, dispostas a melhorar o seu entorno por meio de novos negócios e projetos. Para isso, desenvolve iniciativas com viés mão-na-massa para apoiar empreendedores a trilhar o seu caminho de maneira autêntica e mais preparada.

Conteúdo e Estrutura

Todo conteúdo apresentado ao longo do workshop será entregue às participantes. Café da manhã e lanche da tarde serão servidos em ambos os dias.

condutor do workshop

15930919714_ca1bdb4a15_o_baixa.jpg

Thiago Rached - condutor do workshop

Foi fundador e voluntário de ONGs focadas em educação. Foi sócio do maior fundo de investimento em novos negócios no Brasil, responsável pela área de educação. Atuou como consultor da Fundação Lemann para o desenvolvimento do empreendedorismo em educação no Brasil. É co-fundador da Letrus, negócio social que busca reduzir o buraco da alfabetização no Brasil com uso de inteligência artificial. Foi professor convidado sobre empreendedorismo em educação em universidades como Columbia, Harvard, Stanford e USP. Thiago é administrador pela USP e mestre em educação pela Universidade de Columbia em Nova York. Mais infos.

Como um homem pode falar sobre como é para uma mulher empreender? 
Não pode. E a idéia do workshop não é essa. A idéia não é abordar os desafios específicos das mulheres nessa trajetória, mas compartilhar conhecimentos e metodologias que possam ajudar na estruturação de novos projetos em educação de maneira geral.

Por que realizar um workshop sobre empreendedorismo em educação só para mulheres? 
Porque a maioria das iniciativas ligadas a empreender em educação são dominadas por homens. O workshop é uma tentativa de dar um espaço exclusivo para as mulheres que buscam empreender em educação.